Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Idéias’

De acordo com a Wikipedia, a Palavra é definida como “um conjunto de letras ou sons de uma língua, juntamente com a idéia associada a este conjunto”. Portanto, a sua função pode ser descrita como de representar partes do pensamento humano, constituindo assim uma unidade da linguagem humana. Se observarmos a idéia implícita neste conceito, vemos que a palavra não é apenas uma representação de alguma coisa, mas sim uma ferramenta importante para compreender o mundo, pois ela é a matéria-prima do conhecimento e da informação, é dentro das palavras que permanecem as coisas.

Devido ao crescimento das novas tecnologias e a atual Sociedade da Informação, também conhecida como Pós-Modernidade, vivemos uma “deformação deficiente dos utilizadores e manipuladores da palavra” (Maria José, 2006). Na pós-modernidade, o conceito de verdade absoluta é quebrado em favor das várias verdades, onde todas são tidas como aceitas dentro do contexto da qual ela pertence, isso também é levado em conta para a enxurrada de informação que temos disponível diariamente nos atuais meios de comunicação. Já que não temos uma informação correta, e sim várias ao mesmo tempo, a maioria, incorreta. Mas o problema não está na TV, na Internet ou no Rádio, e sim nos que distorcem o real sentido da palavra e dissimulam para a população. A sociedade atual, segundo a jurista Maria José Nogueira é uma sociedade “rendida à manipulação, que desprezou a cultura, o conhecimento e as referências históricas como os únicos elementos de ligação que permitem formar critérios e opiniões a partir da informação”. A cultura de imagens é superficial, a mídia veiculada pela publicidade capta a nossa atenção por poucos segundos, sem nos dar chance para pensar.

O escritor canadense Alberto Manguel, em entrevista à Revista Veja em 1999 explica:

“Ter acesso à palavra escrita significa a possibilidade de dominar um instrumento de poder chamado linguagem formal. É nele que estão escritos os códigos, as leis de um país. Manter parte da população no analfabetismo é uma das maneiras utilizadas por governantes que querem perpetuar-se no poder, sem sofrer ameaças.”

Portanto, vemos nesta afirmação que o problema da deficiência informativa existente na sociedade está no fato de que as pessoas que detém o poder da palavra temem que a massa possa ficar informada e por isso se beneficiam da ignorância do povo para causar uma desinformação camuflada, fazendo com que as pessoas achem que estão informadas sem estar. O analfabetismo que Alberto fala também está associado ao fato de que as pessoas não querem procurar ter o conhecimento da palavra, pois se deixam ser influenciadas pela comunicação de massa, sem procurar interpretar e refletir sobre o que elas passam para elas.

A solução para este problema está em entender o real valor da palavra e a sua importância para compreender o mundo em que vivemos. “Salvar a palavra pode muito bem ser a melhor forma de preservar a liberdade” (Maria José, 2006). Um grande passo que nós, jornalistas, damos para buscar este entendimento é passar a ler mais, pois “a grandeza do texto consiste em nos dar a possibilidade de refletir e interpretar” (Alberto Manguel, 1999) e através da leitura conseguimos também escrever melhor, tendo assim a oportunidade de utilizar a palavra de forma correta e justa, sem deixá-la perder seu espaço para as imagens ou informações desnecessárias que nos rodeiam a cada segundo.

REFERÊNCIAS:

MANGUEL, Alberto. Ler é Poder. Entrevista concedida à revista Veja, publicada no site Tania Menai em 07/06/1999. Acessado em: 29/07/2010. Disponível em: http://www.taniamenai.com/folio2/1999/07/alberto_manguel.html

PINTO, Maria José Nogueira. A Importância da Palavra. Artigo publicado no site Diário de Notícias em 22/09/2006. Acessado em: 29/07/2010. Disponível em: http://dn.sapo.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=646408

Wikipedia – A Enciclopédia Livre. Definição de “Palavra”. Acessado em: 01/08/2010. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Palavra

LEITURA COMPLEMENTAR:

SOUSA, Cidoval Morais de. Em Busca de Novos Jeitos de Ler (e Compreender) A Mídia. Ciências Sociais Unisinos, Volume 43, Número 002. Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo, Brasil, 2007.

Diogo de Almeida

De acordo com a Wikipedia, a Palavra é definida como “um conjunto de letras ou sons de uma língua, juntamente com a idéia associada a este conjunto”. Portanto, a sua função pode ser descrita como de representar partes do pensamento humano, constituindo assim uma unidade da linguagem humana. Se observarmos a idéia implícita neste conceito, vemos que a palavra não é apenas uma representação de alguma coisa, mas sim uma ferramenta importante para compreender o mundo, pois ela é a matéria-prima do conhecimento e da informação, é dentro das palavras que permanecem as coisas.

Devido ao crescimento das novas tecnologias e a atual Sociedade da Informação, também conhecida como Pós-Modernidade, vivemos uma “deformação deficiente dos utilizadores e manipuladores da palavra” (Maria José, 2006). Na pós-modernidade, o conceito de verdade absoluta é quebrado em favor das várias verdades, onde todas são tidas como aceitas dentro do contexto da qual ela pertence, isso também é levado em conta para a enxurrada de informação que temos disponível diariamente nos atuais meios de comunicação. Já que não temos uma informação correta, e sim várias ao mesmo tempo, a maioria, incorreta. Mas o problema não está na TV, na Internet ou no Rádio, e sim nos que distorcem o real sentido da palavra e dissimulam para a população. A sociedade atual, segundo a jurista Maria José Nogueira é uma sociedade “rendida à manipulação, que desprezou a cultura, o conhecimento e as referências históricas como os únicos elementos de ligação que permitem formar critérios e opiniões a partir da informação”. A cultura de imagens é superficial, a mídia veiculada pela publicidade capta a nossa atenção por poucos segundos, sem nos dar chance para pensar.

O escritor canadense Alberto Manguel, em entrevista à Revista Veja em 1999 explica:

“Ter acesso à palavra escrita significa a possibilidade de dominar um instrumento de poder chamado linguagem formal. É nele que estão escritos os códigos, as leis de um país. Manter parte da população no analfabetismo é uma das maneiras utilizadas por governantes que querem perpetuar-se no poder, sem sofrer ameaças.”

Portanto, vemos nesta afirmação que o problema da deficiência informativa existente na sociedade está no fato de que as pessoas que detém o poder da palavra temem que a massa possa ficar informada e por isso se beneficiam da ignorância do povo para causar uma desinformação camuflada, fazendo com que as pessoas achem que estão informadas sem estar. O analfabetismo que Alberto fala também está associado ao fato de que as pessoas não querem procurar ter o conhecimento da palavra, pois se deixam ser influenciadas pela comunicação de massa, sem procurar interpretar e refletir sobre o que elas passam para elas.

A solução para este problema está em entender o real valor da palavra e a sua importância para compreender o mundo em que vivemos. “Salvar a palavra pode muito bem ser a melhor forma de preservar a liberdade” (Maria José, 2006). Um grande passo que nós, jornalistas, damos para buscar este entendimento é passar a ler mais, pois “a grandeza do texto consiste em nos dar a possibilidade de refletir e interpretar” (Alberto Manguel, 1999) e através da leitura conseguimos também escrever melhor, tendo assim a oportunidade de utilizar a palavra de forma correta e justa, sem deixá-la perder seu espaço para as imagens ou informações desnecessárias que nos rodeiam a cada segundo.

REFERÊNCIAS:

MANGUEL, Alberto. Ler é Poder. Entrevista concedida à revista Veja, publicada no site Tania Menai em 07/06/1999. Acessado em: 29/07/2010. Disponível em: http://www.taniamenai.com/folio2/1999/07/alberto_manguel.html

PINTO, Maria José Nogueira. A Importância da Palavra. Artigo publicado no site Diário de Notícias em 22/09/2006. Acessado em: 29/07/2010. Disponível em: http://dn.sapo.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=646408

Wikipedia – A Enciclopédia Livre. Definição de “Palavra”. Acessado em: 01/08/2010. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Palavra

LEITURA COMPLEMENTAR:

SOUSA, Cidoval Morais de. Em Busca de Novos Jeitos de Ler (e Compreender) A Mídia. Ciências Sociais Unisinos, Volume 43, Número 002. Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo, Brasil, 2007.

Read Full Post »

Apresento a vocês o meu primeiro trabalho no ramo da atuação. Depois de tanto jogar RPG e interpretar inúmeros personagens, finalmente faço minha estréia na telinha. Na telinha do seu PC quando ver este vídeo do Youtube:

Breve resumo: Este vídeo é o resultado de um trabalho do grupo de uns amigos meus que fazem o curso de Arte e Mídia na UFCG. Eles precisavam de alguém para interpretar um dos caipiras do vídeo, e aquele cara que leva o saco de arroz sou eu =]

Interessante, né? Além de músico, agora sou ator também. Awesome. Ah, este “papel” mostrou para um dos interessados como sou foda legal na interpretação e vou ser um dos atores de um curta metragem que estamos preparando para ano que vem.

Diogo Almeida

Read Full Post »

Abajur Geek

Acabei de criar um abajur geek para o meu quarto! Se você é como eu, que adora lixo eletrônico e pensa em idéias para fazer algo com eles, faça, fica legal.

Eu fiz meu abajur em um dia, utilizando o seguinte material:
– 1 roteador Wi-fi queimado
– 1 receptáculo (bocal, para os leigos) de lâmpada
– 1 interruptor convencional
– 3 metros de fio duplo
– 1 tomada macho
– 1 lâmpada fluorescente da pequena (depois eu digo os watts)
– Estilete, alicate e chave de fenda
– 1 DVD de Arctic Monkeys (o Live at the Apollo)
– 1 litro de Whisky
– 1 bacia de pipoca

Para fazer, foi nescessário algumas horas de trabalho e um dedo cortado duas vezes.
Simplismente, enquanto assistia Arctic Monkeys comendo pipoca e bebendo whiskey, fiz um furo na carcaça do rotador para que o receptáculo ficasse encaixado, depois abri a lateral de forma que o interruptor entrasse neste local (sem a tampinha, apenas o interruptor). Depois disso, encaixei o receptáculo e coloquei a fiação por dentro do roteador (tive que serrar 1/4 da placa para isso), liguei a fiação nos seus devidos locais, fechei o roteador e liguei a tomada macho na ponta do fio. Somente isso.

Diogo Almeida

Read Full Post »